A poesia delira ao diapasão e, logo, intenta aos acordes da lira. Poesia que tanto descreve saliva de beijo, bem como a imagem do pensador com o queixo poisado nos dedos. Poesia pode andar no eixo para não ouvir queixa, mas pode andar fora e criar desavenças. Há poesia das crenças, poesia do lixo, poesia pretensa, poesia das gentes, poesia dos bichos. Ela é o amálgama do mundo, verte por tudo. É ofício dos nobres, sedução dos espertos, marofa dos pobres e sina dos vagabundos. Também vive escondida na língua dos analfabetos. Poesia é isso tudo e mais outro tanto, no entanto, poesia não é absurdo. Absurdo é querer-se mudo; absurdo é querer-se surdo; absurdo é querer-se cego. (Tudo e mais outro tanto - sacharuk)

OFICINA DE ESCRITA LITERÁRIA INSPIRATURAS - on line e presencial - novos desafios - inscreve-te! Integra conceitos, técnicas e inspiração em desafios lúdicos e escreve poesia, crônicas e contos

domingo, 26 de julho de 2020

lua para te iluminar


lua para te iluminar

nada sei acerca dos paus
que perfazem singelas canoas
quero apenas bater na tua porta
perceber tua presença

nada sei das histórias
que perfazem dramas e guerras
quero estudar a genética
que te brota em fruta
cresce linda na terra
onde plantei amargura

só sei daquilo que sai
dessa estrambótica dimensão
não vou vestido de dádivas
quiçá eu seja o castigo
pelas tuas vidas passadas

marcarei-te a ferro e fogo
para que todos me saibam
jamais te ousem tocar

e quando estiveres nua
a te banhar no quintal
descreverei em versos a lua
só para te iluminar

sacharuk

cbc97e0bfceb1f29f992183ff509d638 
alexislovesboudoir.tumblr.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário